O "Frame Problem": a sensibilidade ao contexto como um desafio para teorias representacionais da mente

Dissertation, Federal University of Minas Gerais (2019)
  Copy   BIBTEX

Abstract

Context sensitivity is one of the distinctive marks of human intelligence. Understanding the flexible way in which humans think and act in a potentially infinite number of circumstances, even though they’re only finite and limited beings, is a central challenge for the philosophy of mind and cognitive science, particularly in the case of those using representational theories. In this work, the frame problem, that is, the challenge of explaining how human cognition efficiently acknowledges what is relevant from what is not in each context, has been adopted as a guide. By using it, we’ve been able to describe a fundamental tension between context sensitivity and the mental representations used in cognition theories. The first chapter discusses the nature of the frame problem,as well as the reasons for its persistence. In the second and third chapters, the problem is used as a measure tool in order to inquiry a few representational approaches and check how well suited they are to deal with context dependencies. The problems found are then correlated with the frame problem. Throughout the discussion, we try to show that 1) none of the evaluated approaches is capable of dealing with context sensitivity in a proper manner, but 2) that’s not a reason to think that the frame problem constitutes an argument against representational approaches in general, and 3) that it constitutes a fundamental conceptual tool in contemporary research A sensibilidade ao contexto é uma das marcas distintivas da inteligência humana. Compreender o modo flexível como o ser humano pensa e age em função de um número potencialmente infinito de circunstâncias, ainda que munido de recursos finitos e limitados, é um desafio central para a filosofia da mente e para a ciência cognitiva, em particular aos que fazem uso de teorias representacionalistas. Nesse trabalho, adotou-se como fio condutor o modo como isso se manifesta no "frame problem": a dificuldade em explicar como a cognição humana reconhece, de maneira eficiente, o que é ou não relevante em cada contexto. A partir dele, buscou-se caracterizar uma tensão fundamental entre a sensibilidade ao contexto e o uso de representações mentais em teorias da cognição. O primeiro capítulo discute a natureza do frame problem, bem como as razões de sua resiliência. No segundo e terceiro capítulos, faz-se uso do problema como métrica para investigar o quão adequado é o tratamento das dependências contextuais no âmbito de várias abordagens representacionais. No decorrer da discussão, realiza-se um esforço argumentativo para mostrar que 1) nenhuma das estratégias abordadas é capaz tratar adequadamente da sensibilidade ao contexto, mas que 2) apesar disso, o frame problem não constitui argumento fatal para teorias representacionalistas em geral, e que 3) ele constitui uma ferramenta conceitual fundamental para pesquisas contemporâneas.

Author's Profile

Carlos Barth
Jesuit Faculty of Philosophy and Theology

Analytics

Added to PP
2023-08-17

Downloads
265 (#61,298)

6 months
162 (#20,040)

Historical graph of downloads since first upload
This graph includes both downloads from PhilArchive and clicks on external links on PhilPapers.
How can I increase my downloads?