Constrangimento e ignorância da teoria aristotélica do ato voluntário

Download Edit this record How to cite View on PhilPapers
Abstract
Neste artigo é apresentada uma interpretação dos critérios propostos por Aristóteles para separar as ações voluntárias das demais ações, assim como do tratamento aristotélico das ações mistas, das não-voluntárias e das reações morais que lhes são devidas. A interpretação defendida se concentra na Ética Nicomaquéia (EN) e faz uso da Ética Eudêmia (EE) apenas ocasionalmente. Só podemos afirmar que agimos de forma involuntária ou não-voluntária quando somos constrangidos a sofrer uma determinada ação ou quando realizamos algo por acidente.
PhilPapers/Archive ID
NASCEI
Revision history
Archival date: 2019-06-11
View upload history
References found in this work BETA

No references found.

Add more references

Citations of this work BETA

No citations found.

Add more citations

Added to PP index
2019-06-11

Total views
2 ( #40,951 of 39,973 )

Recent downloads (6 months)
2 ( #40,203 of 39,973 )

How can I increase my downloads?

Downloads since first upload

Sorry, there are not enough data points to plot this chart.