Desire and cognition in Aristotle’s theory of the voluntary movements of animal locomotion

Filosofia Unisinos 18 (2) (2017)
Download Edit this record How to cite View on PhilPapers
Abstract
Duas das principais controvérsias que têm ocupado aqueles que se dedicam à teoria aris- totélica do movimento animal são a controvérsia acerca da forma da cognição através da qual um animal irracional apreende um objeto como um objeto de desejo e a controvérsia acerca da função desempenhada pela cognição na explicação aristotélica dos movimentos voluntários de locomoção animal. Neste artigo, eu apresento uma teoria acerca das formas como o desejo e a cognição se articulam na teoria aristotélica segundo a qual um animal irracional apreende um objeto como um objeto de desejo através da percepção incidental deste objeto e, ao contrário do que a maioria parece acreditar, esta percepção não tem sempre a mesma função na produção destes movimentos. Se o que for dito aqui estiver correto, em alguns casos esta percepção é responsável tanto pela geração do desejo quan- to pela sua orientação, mas em outros ela é responsável apenas pela sua orientação.
PhilPapers/Archive ID
NASDAC-2
Upload history
Archival date: 2019-06-23
View other versions
Added to PP index
2017-12-22

Total views
134 ( #41,134 of 2,462,619 )

Recent downloads (6 months)
28 ( #28,584 of 2,462,619 )

How can I increase my downloads?

Downloads since first upload
This graph includes both downloads from PhilArchive and clicks on external links on PhilPapers.