A tensão epistemológica no Programa de Pesquisa sobre Cognição Corporificada

Pensando: Revista de Filosofia 9 (17):290-304 (2018)
Download Edit this record How to cite View on PhilPapers
Abstract
Primeiro apresento as linhas gerais do programa de pesquisa sobre cognição corporificada. Em uma posição central nesse programa, está a tese de que a cognição atravessa cérebro, corpo e mundo – e que, portanto, atividades cognitivas não são eventos exclusivamente intracraniais que ocorrem pela manipulação de representações. Eu apresento a gênese histórica desse programa, a saber, o projeto autopoiético dos chilenos Humberto Maturana e Francisco Varela. Desse projeto, é possível atestar um plano de fundo antirrealista e construtivista, segundo o qual a cognição é uma construção do mundo pelo organismo. Depois, eu apresento o fundamento teórico que recentemente tomou os holofotes do programa, a saber, o enativismo sensório-motor. Esse enativismo manifesta o compromisso com um realismo comedido, segundo o qual há estruturas objetivas a serem exploradas de acordo com a morfologia corpórea do organismo. Assim, observa-se uma tensão epistemológica no cerne do programa. Eu apresento uma possibilidade de resolução dessa tensão pela rejeição de uma das teses centrais do projeto autopoiético – a continuidade forte entre vida e cognição – e por uma melhor interpretação do que significa dizer que a cognição requer que o oragnismo “construa” o seu ambiente.
Categories
(categorize this paper)
ISBN(s)
PhilPapers/Archive ID
ROLATE-3
Upload history
First archival date: 2020-03-12
Latest version: 2 (2020-07-17)
View other versions
Added to PP index
2019-01-27

Total views
113 ( #41,302 of 2,444,728 )

Recent downloads (6 months)
31 ( #23,008 of 2,444,728 )

How can I increase my downloads?

Downloads since first upload
This graph includes both downloads from PhilArchive and clicks on external links on PhilPapers.