O CONCEITO DE NOUS E SUA RELAÇÃO COM O CONCEITO DE DIANÓIA NA FILOSOFIA DE ARISTÓTELES

Inquietude 6 (2):52-74 (2015)
Download Edit this record How to cite View on PhilPapers
Abstract
Aristóteles, em sua obra De anima, além de apresentar uma intrigante teoria sobre intelecto (nous), que dá margem a uma compreensão bipartida do mesmo em ativo (nous poiētikos) e passivo (nous pathetikon), afirma que as afecções do intelecto são distintas das afecções de quem o possui. Uma das afecções deste que possui o intelecto, segundo o filósofo, é o raciocínio. Ademais, diz que este é perecível, ao passo que aquele é impassível e eterno. Desta maneira, longe de aclarar, acaba por dif icultar não somente o entendimento do conceito de intelecto, como também o entendimento do que viria a ser a atividade racional (dianóia). Dessarte, o presente trabalho visa esclarecer os conceitos de nous e dianóia no intuito de obtermos, numa perspectiva aristotélica, um maior entendimento do nosso processo de conhecimento em geral.
Keywords
PhilPapers/Archive ID
BAROCD
Revision history
Archival date: 2017-01-29
View upload history
References found in this work BETA

Add more references

Citations of this work BETA

No citations found.

Add more citations

Added to PP index
2017-01-29

Total views
233 ( #18,997 of 50,283 )

Recent downloads (6 months)
28 ( #22,064 of 50,283 )

How can I increase my downloads?

Downloads since first upload
This graph includes both downloads from PhilArchive and clicks to external links.