Diferenças e semelhanças entre as políticas de reconhecimento em Honneth e Taylor

Download Edit this record How to cite View on PhilPapers
Abstract
Este artigo tem por objetivo descrever e comparar as propostas da política de reconhecimento desenvolvidas por Axel Honneth, na obra Luta por reconhecimento, e por Charles Taylor, na obra Argumentos filosóficos. Ambos os pensadores buscam em Hegel uma referência teórica para renovar suas teorias. Em Honneth, a noção de reconhecimento está fortemente ancorada na intersubjetividade dos indivíduos, decorrente de uma luta por reconhecimento: o desrespeito a qualquer uma das formas de reconhecimento pleno – o amor, o direito e a solidariedade – gera demandas sociais de reconhecimento e, consequentemente, a luta pelo mesmo. Em Taylor, o reconhecimento pressupõe uma noção ontológica de bem, prefigurado na linguagem, tradição, valores e costumes. Ambos os autores mantêm um vínculo forte com a ideia hegeliana da intersubjetividade como instância fundamental na formação das identidades, enquanto base coletiva dos movimentos sociais.
Categories
No categories specified
(categorize this paper)
PhilPapers/Archive ID
SOUDES-2
Upload history
Archival date: 2022-06-20
View other versions
Added to PP index
2022-06-20

Total views
89 ( #53,615 of 70,085 )

Recent downloads (6 months)
89 ( #8,401 of 70,085 )

How can I increase my downloads?

Downloads since first upload
This graph includes both downloads from PhilArchive and clicks on external links on PhilPapers.