Schopenhauer e Nietzsche: do dualismo metafísico ao princípio da unidade-múltipla

Revista Húmus 4 (12):59-76 (2014)
Download Edit this record How to cite View on PhilPapers
Abstract
Perfazendo a primeira filosofia existencial trágica, a doutrina de Schopenhauer atribui a origem do caráter simultaneamente trágico, absurdo e doloroso da existência ao querer viver, implicando um pessimismo que impõe à felicidade uma condição negativa, à medida que o sofrimento emerge como o fundamento de toda a vida, constituindo-se o prazer estético uma possibilidade quanto à superação da dor e do tédio, conforme assinala o artigo cujo trabalho mostra a correlação envolvendo a perspectiva da metafísica da vontade e o pensamento de Nietzsche que, detendo-se no niilismo como um acontecimento que expressa a negação da vida e converge para a sua própria superação, sobrepõe ao dualismo metafísico o princípio da unidade-múltipla através da construção da sua metafisica de artista, que supõe um movimento da consciência ética para o pathos artístico.
PhilPapers/Archive ID
DARSEN
Upload history
Archival date: 2021-11-24
View other versions
Added to PP index
2021-11-24

Total views
3 ( #65,768 of 64,228 )

Recent downloads (6 months)
3 ( #62,305 of 64,228 )

How can I increase my downloads?

Downloads since first upload
This graph includes both downloads from PhilArchive and clicks on external links on PhilPapers.